Total de visualizações de página

sábado, 27 de junho de 2009

A VAnguarda Russa em Exposição no CCBB, RJ.


A exposição "Virada Russa", sobre a vanguarda do início do século XX, já está no CCBB do Rio. Fui ontem rapidamente e pretendo voltar com mais calma. Mas já deu pra perceber que foi muito bem montada. Não são muitas as obras; contudo dá para perceber que são obras relevantemente representativas. A sala dedicada a Malevitch traz os emblemáticos "Quadrado Negro sobre Fundo Branco", "Cruz Negra" e "Círculo Negro" lado a lado, iluminados sobre uma grande parede negra, conferindo uma monumentalidade silenciosa a essas formas rigorosas. O impacto visual é imediato e poderoso, principalmente porque as outras obras expostas no mesmo ambiente pertencem a uma fase de excesso de cor.

Outro ambiente que emociona é dedicado a quatro obras de Wassily Kandinsky. Muito bem escolhidas, representam , cada uma delas, um período da obra dele; há o figurativo expressionista - um pequeno quadro de uns 12cm por 18cm - em forma de uma paisagenzinha com torre de igreja em cores luminosas e vibrantes, há uma tela maior de São Jorge a meio caminho da abstração, outra abstrata que me prendeu em sua admiração por quase meia hora , e a quarta tela, já pós-bauhaus, de abstração mais geometrizante , de ritmos musicais e leveza espacial.

A exposição ainda conta com belas obras de Natalia Goncharova, Aleksandra Exter e Olga Rozanova, tres das muitas mulheres que contribuiram para a renovação da arte russa do início do século XX.

A última sala exibe obras pós stalinistas de gosto duvidoso, adequadas ao novo pensamento do regime, que considerava o Suprematismo de Malevich , Rozanova e Rodchenko como fruto tardio de um decadentismo burguês! Porém, os cartazes publicitários deste mesmo período expostos nesta sala, são testemunhas do quanto que o Construtivismo de Tatlin e Gabo e o Suprematismo influenciaram a estética das artes gráficas da época.

A exposição fica até 23 de agosto. É uma rara oportunidade de apreciar estas obras que compõem o acervo fixo do Museu Estatal Russo de São Petesburgo.

E constatar como eram corajosos e verdadeiros estes artistas modernos na sua busca da essência na representação plástica.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Filmes que estou me lembrando agora

  • "Melancolia"( Lars von Trier)
  • "O Jardineiro Fiel" ( Fernando Meireles), "Apocalypsis Now" ( Coppola), "Amarcord" (Fellini)," Cidade de Deus" ( Fernando Meireles), "Lavoura Arcaica" (Luis Fernando Carvalho),"A Noite dos Desesperados" ( Sidney Pollack),"Excalibur"( John Borman), "Jules et Jim" ( François Truffaut), "Roma" ( Fellini),"Blow Up"(Antonioni),"Salam Cinema!"(Makhmalbaf),"Babel" (Alejandro Iñarritu),"Diários de Motocicleta" ( Walter Moreira Sales)
  • "Volver"(Almodóvar), "Hable con Ella" (Almodovar), "Carne Trêmula"(Almodóvar), "Ata-me' (Almodóvar), "Todo Sobre mi Madre"(Almodóvar), "Barcelona" ( Woody Allen), "Match Point" (Woody Allen), "Manhattan" (Woody Allen)
  • Onegin (Martha Fiennes)

Livros que estou me lembrando agora

  • " A Prosa do Observatório" ( Julio Cortazar), "Passeio ao Farol" ( Virginia Woolf), "Budapest" ( Chico Buarque),"Hamlet" ( Shakespeare),"O Segredo da Flor do Ouro"(Jung),"A Arte Cavalheiresca do Arqueiro Zen"(Eugen Herrigel), "I Ching o livro das mutações"(tradução de Richard Wilhelm),"Bhagavad Ghita"(tradução de Ramananda Prashad),"As Mil e Uma Noites'( tradução de Mamede Moustapha Jarouche),"História da Arte Italiana 1,2,3"(Giulio Carlo Argan),"Carnaval no Fogo" (Ruy Castro),"De Todos os Fogos o Fogo" (Julio Cortazar), "El Libro de los Seres Imaginarios"( Jorge Luis Borges),"Cartas a Theo' ( Vincent Van Gogh), "Noa Noa "(Paul Gauguin),"O Paraiso na Outra Esquina" ( Mario Vargas Llosa), " A Invenção da Liberdade"( Satarobinsky)
  • "Evangelho Segundo Jesus Cristo"( Saramago), "Ensaio sobre a Cegueira"(Saramago), O "Leite Derramado" (Chico Buarque), "As Núpcias de Cadmo e Harmonia" (Roberto Calasso)," Mulheres, Militância e Memória"( Elizabeth X. Ferreira), "Logações Perigosas" ( Chauderlos de La Clos),"Drácula"( Bram Stocker),"Do Espiritual na Arte" ( Wassily Kandisnky)